domingo, 30 de agosto de 2015

Óleo Essencial de Rosa (Rosa damascena & R. gallica)

É a «Rosa da Bulgária», a mesma que tornou famosos os perfumistas franceses, ingleses, húngaros e italianos, a mesma à qual são atribuídas propriedades mágicas que fizeram dela protagonista da maioria dos filtros de amor da Antiguidade e dos contos populares. Levada ou não para a Provença pelo cruzado Teobaldo, sabe-se que a espécie R. gallica, em particular, era importada da Pérsia em grandes quantidades. Este amor pela rosa parece ter tido início na época faraónica egípcia, antes de ter sido transmitido aos Gregos e aos Romanos, que a elevaram a rainha das fragrâncias. 

Familia: Rosaceae.

English Name: Rose.

Origem: Hungria, Bulgária, Turquia e França.

Partes Usadas: Flores.

Aroma: Floral e doce.

Princípios Activos: Citronelol, geraniol, feniletanol, nerol, linalol, citral, antocianidinas e flavonóides.

Propriedades: Antidepressiva, sedativa, adstringente, vulnerária, anti-radicalar, emoliente, dermoestimulante, anti-séptico, anti-inflamatória, antiespasmódica, bactericida, colagogo, depurativa, diurética, emenagoga, tónica hepática e estomacal.

Fitoterapia Geral: Usada como regulador hormonal em TPM, infertilidade, dores menstruais e doenças do foro ginecológico em geral. Purifica o sangue e melhora as funções cardíaca e respiratória, e atenua dores de cabeça (quando aplicado em baixas concentrações) e dores musculares. Também usado muito diluido para tratar conjuntivites, sendo neste caso preferida a espécie silvestre R. canina, em infusão a 10% (100g/l).

Dermatologia: É nesta área que o óleo essencial de rosa tem sido mais empregue ao longo da sua história. Pela sua acção emoliente, rejuvenescedora e vulnerária, é adicionado a cremes e loções anti-envelhecimento, assim como para tratamento da acne, dermatites, queda de cabelo, estrias e pele muito seca. Em substituição, pode ser usado o óleo proveniente das sementes, rico em proantocianidinas oligoméricas, e a água-de-rosas, obtido da rosa-canina. 

Psicologia: A rosa facilita o sono, trata doenças nervosas e sentimentos negativos, como a inveja, o ódio e o ciúme. Contribui para redução do stress e do cansaço mental, melhora o humor e é um poderoso anti-depressivo, sobretudo em situações de luto.  

Observações: Por ser um dos óleos mais caros, convém que seja diluido para que possa ser usado em áreas extensas. O seu aroma é poderoso e susceptível de causar náuseas em pessoas mais sensíveis quando usado puro. Sendo um dos óleos mais raros, dada a elevada quantidade de pétalas necessárias à sua extracção, é dos que mais se encontra adulterado, muitas vezes substituído por gerânio, com o qual pode ser conjugado. O ylang-ylang, o sândalo, a lavanda e os citrinos são os aromas que química e aromaticamente melhor combinam com rosa.   

Curiosidades: Muito antes de o físico árabe Avicena (séc. X) se aventurar na destilação de óleos essenciais, já outros autores tinham indicado conhecer a destlição, sobretudo de rosa, não apenas pelo seu aroma perfumado, mas porque era uma das plantas medicinais mais utilizadas em todo o mundo antigo e sobretudo pela medicina Ayurvédica para tratamento de doenças de pele e do sistema nervoso. Homero e, mais tarde, Plínio, o Velho, falam-nos da arte de perfumar o corpo. A Roma afluíam essências de todo o Mediterrâneo e Extremo Oriente, e já então a rosa dominava esta exótica indústria perfumeira sob a forma de unguentos que circulavam por terra e por mar em pequenos unguentários de vidro desde a época fenícia (século VIII a.C.). 
Um herbário do século XVIII aconselhava a colheita das pétalas «antes de o Sol as beijar», ou seja, antes de o calor dissipar os seus óleos voláteis.

1 comentário:

  1. Olá, grato por compartilhar a reportagem. Gostaria de saber como conseguir o óleo de rosa damascena. Se tiver o link e puder me enviar, eis aqui meu e-mail: hugoleandro11@gmail.com obrigado pela atenção

    ResponderEliminar