quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Angélica (Angelica archangelica)

Veio da Escandinávia ocupar os lugares sombrios das galerias ripícolas nas regiões mediterrânicas. No século XV era já muito afamada em Itália pelo intenso aroma condimentado e anti-séptico das suas raízes. Até finais do século XVIII foi amplamente utilizada na prevenção de surtos de peste bubónica, e de outras que se fizeram sentir pelo século XX adentro.   

Família: Apiaceae (Umbelíferas).  

English Name: Angelica.

Origem: Norte da Europa.

Partes Usadas: Raízes, folhas e sementes.

Aroma: Especiado, fresco, adocicado.

Princípios Activos: Α-felandreno, β-felandreno, careno e α-pineno (hidrocarbonetos monoterpénicos), umbeliferona e ostol (cumarinas), lactonas macrocíclicas, ácidos polifenólicos, flavonóides, taninos e furanocumarinas (angelicina, arcangelicina, xantotoxina, isoimperatorina e bergapteno).

Propriedades: Antidepressiva, anti-séptica, rubefaciente, expectorante, analgésica, antiespasmódica, carminativa, laxante, expectorante, hepatotónica, aperitiva, sudorífera, diurética, febrífuga, sedativa e emenagoga.

Fitoterapia Geral: Usada como tónico digestivo pelos seus efeitos carminativos. Melhora situações de refluxo gástrico, dispepsia, úlceras estomacais, cólicas, espasmos intestinais e problemas hepáticos. Muito eficaz em drenagem linfática, é desintoxicante e fortalecedora do sistema imunitário. Usada no tratamento de gripes, tosses, constipações, febres, asma, gota e reumático. Trata problemas respiratórios/pulmonares e desequilíbrios hormonais, atenua as dores derivadas de nevralgias e artrite reumatóide e regula o ciclo menstrual. Como calmante, é eficaz contra a insónia, quer seja por inalação do aroma, quer tomada em tisana feitas com a raiz. O uso excessivo pode provocar o efeito contrário. 

Dermatologia: É fototóxica; a exposição ao sol deve ser evitada quando usada esta planta, seja sob a forma de óleo essencial, seja em tisanas, assim como em cremes que comportem extractos glicólicos. Apenas os extractos aquosos não são susceptíveis de gerar fototosensibilidade, sendo por isso os mais utilizados em cremes e loções anti-rugas e anti-celulíticos. 

Psicologia: Sincroniza ondas cerebrais alpha e theta, é revitalizante, cardiotónica, neurotónica e eficazmente antidepressiva. 

Observações: Usar diluído, evitar na gravidez e em crianças e nunca usar antes de uma exposição solar, mesmo que ligeira, isto devido à presença de furanocumarinas. É facilmente conjugável com outros aromas especiados, mas também com aromas balsâmicos e cítricos.

Curiosidades: Os caules cristalizados e as sementes desta planta são usados nos licores Vermute e Chartreuse. As folhas e as sementes são muito utilizadas na gastronomia europeia.

Imagem: Flora von Deutschland, Osterreich und der Schweiz, Prof. Dr. Otto Wilhelm Thomé (1885-1905).

Sem comentários:

Enviar um comentário